Propostas do PDS Sepetiba

Buenas. Enfim, chegamos.

“… a harmonia possível das coisas depende do seu equilíbrio e do tempo em que acontecem, não cedo demais, não tarde demais, por isso nos é tão difícil alcançar a perfeição.” José Saramago

Propostas do PDS Sepetiba em: http://ueaplanejamento.com.br/blog/?page_id=452



é sempre pior do que se pode imaginar…

Cenários de Sepetiba. Temos três: o Contemporâneo (quase tendencial), o Metabólico (tudo o que se espera de um bom sistema de gestão ambiental) e o Pós-Industrial (aquilo que pode acontecer se nada acontecer).

Naturalmente, as reações ficaram divididas entre a repulsa ao Contemporâneo e a idolatria ao Metabólico. O Pós-Industrial instigou.

Agora vejo nos jornais um derramamento de óleo nas plataformas da Petrobras na bacia de Campos que já pode ser visto do espaço, (http://noticias.uol.com.br/cotidiano/2011/11/16/chevron-comeca-a-lacrar-poco-de-petroleo-que-apresenta-vazamento-na-bacia-de-campos.jhtm) e a reação truculenta da TK-CSA contra os pareceres de pesquisadores da FIOCRUZ, processando-os. Mas os impactos ambientais continuam. E não sei de nenhum posicionamento do governo do Rio.

Em qual cenário vocês apostam?

RR

Cenários em 3D… PDS-Sepetiba.

Os origamis dos Cenários foram elaborados com base na técnica Three-dimensional Model Origamic
Architecture Card, com referência a @2004 The Museum of Modern Art, New York…. vai lá….

O que você precisa saber sobre os “Cenários Tendenciais”

1. As coisas estão como estão porque são como são.

2. Se nada muda, nada muda.

3. O cenário menos provável de acontecer é o tendencial: o mundo SEMPRE muda.

4. É necessário UM GRANDE ESFORÇO para as coisas continuarem do jeito que estão. A tendência é que elas mudem.

5. Não há cenários “otimistas” ou “pessimistas”. Quem é otimista ou pessimista é quem lê.

tem mais…

rr