Mais sobre a crise hídrica

Recentemente foi postado na lista da ABRH – Associação Brasileira de Recursos Hídricos um link que mostra muito sobre a crise hídrica em São Paulo. O post foi feito pela Roberta Baptista Rodrigues e o link é http://www.envolverde.com.br/especial-agua/faltou-agua-entenda-mais/

Eu fiquei indignado, não só com o posicionamento do governador de São Paulo (embora eu já saiba que daquele mato não sai coelho), mas com a total ausência de posicionamento de entidades profissionais como a USP e a própria ABRH. E resolvi escrever um comentário no site do vídeo, o qual reproduzo abaixo.

Abraços


 

Colegas;

Esse link enviado pela Roberta (valeu, Roberta!) mostra, em detalhes, em que ponto chegamos na gestão dos recursos hídricos em São Paulo. Acho que isso coloca em evidência uma falência múltipla, onde se inclui o governo estadual e sua concessionária tão exemplar (segundo o Francisco Lobato), mas também, e principalmente, a academia e as associações profissionais, como a USP e a ABRH que tanto tem feito para o avanço da gestão de recursos hídricos.

Embora no caso de São Paulo a omissão seja escancarada, gritante e até humilhante, o caso do rio São Francisco não tem sido menos crítico e também aponta para uma omissão imperial tanto por parte dos governos de Minas, Bahia e governo federal, como por parte do setor elétrico (ONS e CHESF) .

Não consigo acreditar, ou até admitir, que nenhuma das nossas instituições acadêmicas e profissional tenha ainda se manifestado, emitido um posicionamento, ou qualquer outra coisa digna de uma entidade acadêmica ou profissional diretamente relacionada com a crise e também com sua possível solução.

Como se não bastasse o desrespeito evidente à legislação vigente, o descaso com as recomendações de técnicos e a já tão banal mentira deslavada dos políticos da vez, temos ainda um silêncio da USP e da ABRH que não só as tornam cúmplices do que ocorreu, como também as conduzem mais e mais à total irrelevância no que diz respeito a essa questão.

Rodolpho Ramina

Deixe uma resposta